ico-home HOME    ico-agenda AGENDA    ico-noticias NOTÍCIAS

logo

Já são conhecidas as quotas de pesca para Portugal

O total da quota pesqueira para Portugal sobe 11%, com os pescadores a poderem pescar mais lagostim, tamboril e biqueirão em 2017. Já a pescada volta a sofrer um corte de 5%.
 
Os ministros das Pescas da União Europeia chegaram esta madrugada a acordo sobre os totais admissíveis de capturas (TAC) e respetivas quotas nacionais, numa maratona negocial em que Portugal viu os cortes da pescada reduzidos a 5% em 2017.
 
A Comissão Europeia tinha proposto, em outubro, um corte de 35,9% nas capturas de pescada em águas nacionais, valor que entretanto havia sido revisto para 34%.
 
Após 16 horas de negociações, que começaram na terça-feira de manhã e terminaram já na madrugada desta quarta-feira, Portugal fez valer os argumentos científicos que davam conta do bom estado dos 'stocks' de pescada em águas nacionais.
No total, os pescadores portugueses vão poder pescar perto de 121 mil toneladas no próximo ano, mais 11% que em 2016. A quota de biqueirão sobe 18% face a 2016 (para as 6.522 toneladas), quando a Comissão Europeia tinha proposto a manutenção nas 5.542 toneladas.
 
As capturas de tamboril aumentam em 54%, de raias em 10%, de carapau em 7% e de lagostim em 5%.
 
A quota de bacalhau em águas da Noruega sobe em 16%, mantendo-se as possibilidades no Svalbard e Canadá (zona NAFO).
 
O atum rabilho, espécie muito apreciada nomeadamente em sushi, viu as suas quotas aumentar em 20%, para as 399 toneladas, mantendo-se as capturas de patudo nas 4.515 toneladas, de espadarte nas 1.651 (Atlântico Norte e Sul) e de voador nas 2.813 (Atlântico Norte e Sul).
De acordo com a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, foi "o melhor resultado de sempre", de quotas de pesca para Portugal.
 
shutterstock 94725664